“A justiça sustenta numa das mãos a balança que pesa o direito, e na outra, a espada de que se serve para o defender. A espada sem a balança é a força brutal; a balança sem a espada é a impotência do direito” - Rudolf Von Ihering



sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Dra. Ana Lúcia Assad: ousada, intrépida!


O importante papel do advogado (a) criminalista. Por vezes, é comum ver as pessoas do senso comum atribuírem aos criminalistas a culpa pelas mazelas sociais. Entendo. Porém não concordo. Fascinante e primordial é para a sociedade a figura do advogado. Na área criminal costuma esses profissionais travarem verdadeiras batalhas. Onde a sociedade vê tão somente um delinquente, sem nenhum direito, lá está o advogado criminalista para defendê-lo e fazer com que tenha uma pena justa dentro do devido processo legal. Crimes cuja repercussão por dias tomou o horário nobre então, costuma-se sacrificar a defesa (advogado (a) de bandido é bandido!). A Dra. Ana Lúcia Assad (foto acima) foi vítima da mais sórdida campanha de ira social nos últimos dias. Enfrentou uma juíza arrogante, assim como a promotora e boa parte da sociedade. Da sociedade houve até quem motivasse um princípio de agressão contra a defensora. Enfim, quero aproveitar para parabenizar a Dra. Ana pela coragem, ousadia e intrepidez. Afinal, ousadia não lhe faltou.  


Em tempo: "É muito mais fácil acusar que defender, como é mais fácil causar um ferimento que curá-lo" (Quintiliano).

19 comentários:

Anônimo disse...

Eu não acompanhei o julgamento in loco, mas discordo uma única coisa: a emérita defensora não deveria - nem poderia- ter se dirigido à juíza da forma como fez. Pelo menos no que se refere à menção de mandá-la de volta aos bancos de estudo. De fato, o tal "princípio da verdade real" constituí argumento tão escatológico que, em livros sérios de processo penal, é severamente criticado. Quando não refutado de imediato...portanto, certa a juíza em indeferir a pergunta e despreparo da defesa em reagir de forma tão desrespeitosa.

Anônimo disse...

Nobre pedido fez essa advogada.Desde quando pedir a alguém para estudar é desacato? quem tem competência se estabelece!

Anônimo disse...

“Não vejo, neste primeiro momento, motivo para punição à advogada”. “O advogado goza da garantia da imunidade profissional e na tribuna, respeitados os excessos, ele tem o direito de defender o constituinte dele mesmo que desagrade juiz, Ministério Público ou a sociedade de um modo geral. Numa situação como esta, não podemos execrar a advogada, ela estava exercendo a profissão”.

Anônimo disse...

O ambiente forense é local que deve ser pautado pelo respeito, lhaneza e civilidade. Mandar a Juíza "estudar" é uma forma jocosa, irônica e desrespeitosa de chamá-la de "incompetente" ou "desqualificada".Palavra, mesmo as mais bonitas, são aptas a ofender. E, nesse caso, agrediu e feriu a figura da presidente do Júri. No caso, entretanto, não vejo a nobre advogada amparada pela imunidade em comento, até porque essa imunidade está restrita à defesa do acusado. Era necessária tal ofensa para o exercício da defesa técnica? Penso que não.

Anônimo disse...

Parabéns para a drª Ana Lucia Assad uma Guerreira Corajosa.

A Advogada Ana Lucia Assad foi excelente, e Deus é do lado dela pq o unico Juiz Verdadeiro é Deus e só ele pode jugar. Eu achei a decissão da Juiza ixagerada e acho que Lindemberg tem que pagar mas não do jeito que foi feito, achei que para condenar tem um monte mas para defender e se colocar no lugar da pessoa não tem ninguém. Alguém por acaso se colocou no lugar da mãe do acusado??? Nem o Nardoni que matou a própria filha não pegou nem um terço do que deverei, e Lindemberg esta pagando por todos...Deus vai dar força e guardar a família dele e vai dar força pra ele que não me pareçe ser esse monstro que pintão. sem mais. Ass: Laura

Anônimo disse...

Eu discordo da sua opinião.

Anônimo disse...

Eu acho que a Drª Ana Lucia foi excelente e esta de parabéns e acho que a Juiza deve ter matado algumas aulas na faculdade...

Anônimo disse...

PARABÉNS PARA A GUERREIRA DRª ANA LUCIA ASSAD, E GOSTARIA DE PERGUNTAR SE ALGUEM POR ALGUM MOMENTO SE COLOCOU NO LUGAR DA MÃE DO LINDEMBERG.PQ A ELOÁ SÓ PAGOU PELOS MILHARES CRIMES QUE O PAI DELA COMETEU E DA VIDA DE TANTOS INOCENTES QUE ELE TIROU E DEUS FEZ ELE PAGAR COM A PROPRIA FILHA.MAS O LINDEMBERG SÓ DEUS PODE JUGAR.GOSTARIA DE DAR UM ABRAÇO NA MÃE DO LINDERBERG E DIZER QUE DEUS É COM ELA.

Anônimo disse...

O princípio da verdade real existe no direito penal, não é escatológico e não é refutado por livros sérios de processo penal. A juíza é pessoa jovem e me pareceu um pouco assustada. Não me pareceu ter sido arrogante, menos ainda a promotora de justiça. Advogados, juízes e membros do MP devem se tratar mutuamente com urbanidade e respeito. Mandar a juíza voltar a estudar é algo inadmissível e desnecessário à defesa do réu. Existem outras respostas mais inteligentes e culturalmente mais ricas e proveitosas. Ofensas não levam à nada e devem ser evitadas de lado a lado.

Nilton Cezar disse...

Reforço meu apoio à defensora. A bem da verdade a MM Juíza, para quem não acompanhou o julgamento, após indeferir o pedido da defensora e a mesma dizer que a MM juíza deveria voltar a estudar se retratou e deferiu o pedido. Não vislumbro do pensamento de que mandar alguém estuda configure ofensa. Porém, respeito posicionamentos contrários. Abs!

Anônimo disse...

A advogada Ana Lúcia não tem postura de advogada; veste-se e se comporta de forma vulgar e gosta de chamar a atenção. Acho que é com isso que ela deveria se preocupar e não com os estudos da juíza.

Nilton Cezar disse...

Seria bom que os colegas se prendessem a comentar sobre o tema proposto. Ataques ao aspecto pessoal dos profissionais é algo desagradável.

João Drummond disse...

A advogada Ana Lucia Assad, na falta total de elementos de defesa do seu cliente, tentou melar o julgamento.
A juíza Milana Dias percebeu e neutralizou a armadilha. Ana Lucia Assad foi vitima apenas de sua própria atitude.

Anônimo disse...

Haja paciência! Evidente que pegou causa polêmica e perdida para lhe servir de vitrine para suas pretensões, sejam elas profissionais ou políticas. Só não percebe quem não quer. Não há qualquer heroísmo em prestar-se a defender um canalha.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o Nilton Cezar, parabenizo a nobre Ana Lucia Assad e digo que não só a Juíza deveria voltar a estudar como qualquer um que diga que o Princípio da Verdade Real é escatológico e refutado pela doutrina. Advogado tem compromisso com o cliente e foi isto que a Dra. Ana Lucia demonstrou em todas as suas atitudes.Minha completa admiração por seu trabalho.

Anônimo disse...

Parabéns a Dra. Ana Lucia Assad pela defesa e parabéns ao autor deste blog também.... Gente a Dra. pode até ter exagerado quando pediu que a juíza voltasse a estudar... Mas pensem bem, a Magistrada alegou não ter conhecimento do princípio suscitado... o qual é um desdobramento do Princípio da Ampla defesa garantido pela Carta Magna, entendo que talvez outro advogado agiria da mesma maneira naquela situação, mesmo por que em vários momentos do julgamento a colega foi menosprezada pela Magistrada, pelo Ministério Público e pelos assistentes de acusação. Vejam que as argumentações da colega de acusar a polícia e a imprensa como co-autores dos crimes toma corpo agora que a mãe de Eloá processa o Estado (Polícia) pedindo uma indenização pelo desdobramento da ação desastrosa. Notem que a tese da colega está sendo comprovada pela própria acusação que processa o Estado. Entendo sim que a mãe de Elóa deva realmente processar o Estado, mas devemos pensar por qual motivo a acusação refutava sobremaneira esse fato da co-autoria na ocasião do julgamento??

Anônimo disse...

Vc é doido?? Falar mal da juíza?? Além de linda, é inteligente, serena, competente. Quem quis chamar a atenção, foi a advogada, que só faltou discutir com o jurados dentro do plenário!! Ela aprontou de tudo. Discutiu com a juíza, promotora, advogados de acusação. Enfim, fez de tudo, para chamar a atenção!

Anônimo disse...

Na minha opinião a advogada de defesa deveria ter se prendido exclusivamente a defesa de seu cliente, como aqui colocado em comentário acima, quando um colega menciona os trajes da advogada, e o autor pede para que o foco do debate não fosse deixado de lado, para mudar completamente o teor da discussão,dizendo ainda que "Ataques ao aspecto pessoal dos profissionais é algo desagradável."
Também acredito que o comentário do colega acima foi um quanto desagradável. Dessa mesma forma podemos usar a repreensão do autor do blog, levando para o fato da advogada sugerir que a Juíza voltasse aos bancos de estudos, se fazendo totalmente indelicada e ríspida, não cabe a ela nem a mais ninguém, aconselhar que uma Juíza volte a estudar, por mais que a J. Milena Dias tenha admitido a falta de conhecimento de um determinado assunto, ele em momento algum abriu acunas para que questionassem sua competência,a final de contas nunca sabemos, mesmo por que nossa justiça é atualizada constantemente.

solange S Paula disse...

Coragem a ela não faltou, já a muitos que estão postando comentários distorcidos à respeito dela, esta deixando a desejar. Pelo menos tenham coragem de mostrar sua cara e substanciar seus comentários, pois a condição de anônimo descredibiliza seus argumentos e deixa arestas pra julgamentos. Queria mesmo ver quem desses anônimos teria o mesmo PEITO que essa mulher, profissional, guerreira... o teve.