“A justiça sustenta numa das mãos a balança que pesa o direito, e na outra, a espada de que se serve para o defender. A espada sem a balança é a força brutal; a balança sem a espada é a impotência do direito” - Rudolf Von Ihering



sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Escravo dos meus pensamentos

Ainda falando sobre a VIII Semana Jurídica que está sendo realizada na Faculdade entre os dias 1,2 e 3, encontrei ocasião propícia para refletir o quanto tenho necessidade de estar junto à minha família. Já divulguei aqui por diversas vezes que sou do “tipo” que tem muita dificuldade em conviver com arrogantes, orgulhosos e preconceituosos.

Esses três adjetivos acima são facilmente encontrados entre os acadêmicos aqui da faculdade, para ser mais preciso, os que estudam comigo. Assim, como nos anos anteriores eu já presenciei, no auditório da faculdade, enquanto os palestrantes estão a falar, os meus colegas (os de sempre, lembram-se?) estão tentando dividir o espaço para fazer, do auditório, passarela.

Sabendo das minhas limitações e ciente que tenho que aceitar (pois vivo em sociedade) o jeito de ser das pessoas, não fui. Não conseguiria concentrar-me. Momentos primorosos para mim é poder estar junto à família, essa foi uma ótima ocasião.

Sou, sim, convicto de que, estar em casa e ler um bom livro, atualizar-me nas leituras dos informativos jurisprudenciais, é, certamente, muito mais proveitoso.

Motivo pelo qual refleti sobre os riscos que estaria correndo visto que meu poder de concentração, para determinadas situações, semelhantes às expostas acima, é muito baixo. Assim, seria em vão minha ida.

Então, pensei: “já me tornai um escravo, escravo dos meus pensamentos!”
   

3 comentários:

Jaqueline Köhn disse...

Oi Nilton...

Passei aqui para desejar-lhe um ótimo feriado e aproveite bastante os momentos em família, ok?!

Um grande abraço!!

Josselene Marques disse...

Olá, Nilton!

Muito obrigada pelos elogios aos meus blogs. Quanta gentileza! É um prazer tê-lo entre os meus generosos leitores.
Como você, não consigo conviver bem - apesar de me esforçar ao máximo - com arrogantes, orgulhosos e preconceituosos. Abomino. Lamento que a educação e o conhecimento, ainda, sejam insuficientes para corrigir este tipo de "desvio" de conduta em certas pessoas. De minha parte, tento mostrar, para os que me escutam ou leem, que nenhum ser humano é superior a outro. Na verdade, somos todos diferentes - apenas isso.
Certamente, sempre que puder, passarei por aqui.
Recomendações à sua amada esposa.
Tenha um ótimo feriadão.

clauedu70 disse...

Olá, Nilton

Obrigada por visitar meu blog e pelos comentários que você fez em minhas postagens, pois é muito importante para mim saber a sua opiniâo, tanto sobre assuntos da nossa sociedade, como também do nosso mundo cristão.

Quero te desejar um ótimo feriado.

virei sempre aqui te visitar, um grande abraço!